domingo, 4 de janeiro de 2009

CASA IMPORTADORA E EXPORTADORA EZAGUI & IRMÃOS

EZAGUI &^IRMÃO P-B
 Casa importadora e exportadora Ezagui & Irmãos

Na esquina da Praça da Matriz com a rua Quintino Bocaiúva, que sediou movimentadíssimo empório comercial de vendas de produtos regionais. Mais tarde abrigou, sucessivamente, o Cine Botafogo, a importadora Itacoatiara Ltda., a Codeagro – Companhia de Desenvolvimento Agropecuário do Estado do Amazonas e a feira alternativa do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Itacoatiara. Ficou um longo tempo entregue as intempéries do tempo, sendo recuperado e utilizado atualmente pela Prodente.
Prodente Principal
In the corner of the Square of the Head office with the street Quintino Bocaiúva, that based busy commercial emporium of sales of regional products. Later it sheltered, successively, Cine Botafogo, the importadora Itacoatiara Ltd., Codeagro–Company of Agricultural Development of the State of Amazon and the alternative fair of the Union of the Rural Workers of Itacoatiara. He/she was a long time given the bad weather of the time, being recovered and used now by Prodente.
INTRODUÇÃO

Em 1981, o Beth Hatefutsot pediu ao fotógrafo Sérgio Zalis, na época aluno da escola de arte
Betzalel, em Jerusalém, uma documentação do judaísmo brasileiro. Sérgio veio ao meu
encontro, em São Paulo, sem maiores recursos além de sua boa vontade, e eu fiz ver a ele que
a comunidade judaica brasileira estava espalhada pelos quatro cantos do país, e seria
interessante estabelecer qual comunidade seria objeto de sua pesquisa. Elaboramos uma
relação de possíveis registros, e Tel Aviv foi consultada. O Beth, depois de várias reuniões,
decidiu-se pelo Norte do Brasil.
Em janeiro de 1983, finalmente, o Beth Hatefutsot, o Museu da Diáspora da Universidade de
Tel-Aviv,Israel, encomendou-nos a realização de uma documentação sobre o que até então era
uma história muito pouco conhecida: a saga dos judeus marroquinos e de seus descendentes,
os hebraicos, na longínqua e misteriosa Amazônia.
Com o apoio do empresário Israel Klabin, durante um mês, percorremos aquela imensidão,
começando por Belém do Pará, seguindo depois para Cametá, às margens do rio Tocantins.
Dali, partimos para Abaetetuba, Alenquer, Santarém, Óbidos, Maués, Itacoatiara, Manaus,
Porto Velho e Guajará Mirim.
Em todos esses lugares, encontramos judeus, descendentes de judeus e registros
impressionantes da passagem dos judeus de origem marroquina pela Amazônia.

Família zagury na Amazônia

Alberto Menasseh Zagury, Alegria Nahon Zagury, Disraely Menasseh Zagury,Gerson Menasseh Zagury, Nancy Zagury, José Bemuyal Zagury, José Elias Zagury, Syme Aben-Athar Zagury, Júlia Bemuyal Zagury, Luna Zagury, Menasseh José Zagury, Mercedes Zagury, Salomão José Zagury, Joaquina Ezaguy, Augusto Pacífico Ezaguy, Isaac Bemerguy Ezaguy, José Pacífico Ezaguy, Mathilde Esther B Ezaguy

OS HEBRAICOS DA AMAZÔNIA

______________________________________________________________________

OS HEBRAICOS DA AMAZÔNIA – por Henrique Veltman – março/2005 - www.veltman.qn.com 58
Leão Pacífico Esaguy nasceu em Itacoatiara em 1918. Naquela época, o principal negócio dos
judeus era venda e troca de castanhas, peles e pedras preciosas. Seu pai veio de Cabo Verde
e sua mãe de Tanger. Seu pai, que veio ao Brasil com onze anos, enriqueceu com a borracha
e a castanha, e foi a Lisboa para casar. Não pensava em regressar ao Brasil, mas o fato é que,
rapidamente, dissipou a pequena fortuna que construíra, provavelmente afetado pela
desastrada política econômica do governo português, logo após a Primeira Guerra.
Leão publicou, em São Paulo, um livro de contos, em 1981 -"Contos Amazonenses" - onde
narra muitas histórias envolvendo os judeus e a selva amazônica.É interessante reproduzir
aqui a oração pronunciada por uma personagem judia, diante da ameaça real de uma onça, no
conto "Satã, o Felino Maldito":
"A Deus, que abeberou o meu espírito de tanta sede de beleza e harmonia, que como cibo
(alimento) da minha mente me deu o pasto imenso da majestosa mataria amazônica e que
embalou toda a minha estrutura sentimental, desde a minha infância, ao cantochão melodioso
e grave das águas cantantes dos igarapés, que formou a minha personalidade sob o influxo da
majestática grandeza do ambiente dela, que me fez um homem simplório, despretencioso e
sentimental graças a Deus".
Hoje, graças à soja, Itacoatiara revive em função de um terminal onde chega e é exportado em
grande escala aquele grão. Mas, aparentemente, os judeus (ainda) não regressaram à cidade.
Livros de Leão Pacifico Ezaguy
Nas Noites Indomitas e na Solidão Leão Pacífico Esaguy 1995 Literatura Brasileira Sebo do Bac SP R$ 10,00
O Aleijadinho um Romance na Amazônia
Leão Pacífico Esaguy 1982 Literatura Brasileira Sebo do Bac SP R$ 10,00
O Aleijadinho um Romance na Amazonia
Leão Pacifico Esaguy 1982 Literatura Brasileira Sebo Raiz SP R$ 15,00
O Aleijadinho: um Romance na Amazônia
Leão Pacífico Esaguy 1982 Literatura Brasileira Oficina do Mestre SP R$ 9,90
Contos Amazonenses
Leão Pacífico Esaguy 1981 Literatura Brasileira Sebo do Bac SP R$ 4,00
Contos Amazonenses
Leão Pacífico Esaguy 1981 Literatura Brasileira Sebo do Bac SP R$ 4,00
Contos Amazonenses
Leão Pacífico Esaguy 1981 Literatura Brasileira Sebo do Bac SP R$ 4,00
Contos Amazonenses
Leão Pacifico Esaguy 1981 Literatura Brasileira Praia dos Livros Salvador BA R$ 6,00
Contos Amazonenses
Leão Pacífico Esaguy 1981 Literatura Brasileira Livraria e Sebo Fenix SP R$ 8,00
Contos Amazonenses
Leão Pacifico Esaguy 1981 Contos Cyber Sebo SP R$ 10,00
Contos Amazonenses
Leão Pacífico Esaguy n/d Literatura Brasileira Livraria Sebo Quixote SP R$ 4,13
Enxuga as Lágrimas e Segue o Caminho Q...
Leão Pacifico Esaguy n/d Literatura Brasileira Sebo do Bac SP R$ 10,00
Enxuga as Lágrimas e Segue o Caminho Q...
Leão Pacifico Esaguy n/d Literatura Brasileira Sebo do Ba SP R$ 10,00
O Aleijadinho - um Romance na Amazonia
Leão Pacifico Esaguy n/d Literatura Brasileira








3 comentários:

Carlos Nehab disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Nehab disse...

Caro Ricardo Abreu
Sou descendente dos "Esagui" do mencionado armazem e me interesso, portanto, por tudo de Itacoatiara! Uma boa parte de meus ancestrais foi de Marrocos para Portugal e de lá para Itacoatiara.
Fiquei muito feliz em saber que o armazem foi recuperado. Pela foto, ficou lindo.
Um grande abraço,
Carlos Eddy Esaguy Nehab (Carlos.Nehab@gmail.com), do Rio de Janeiro

Raquel Esagui disse...

Olá Ricardo!
Sou neto do Leão P. Esaguy. E estou precisando encontrar alguns documentos da família urgente, que estou com dificuldades... principalmente da parte do meu bisavô.
Talvez o senhor possa me ajudar.
Poderia entrar em contato comigo?
kellesagui@gmail.com


Obrigada!
:)